quinta-feira, 30 de junho de 2016

Quanto custa ter um cão?

Depois de ler este post no Mr. Money Moustache (um site norte americano sobre liberdade financeira, reforma aos 30 anos e um estilo de vida frugal) sobre a opcionalidade de ter ou não um cão como animal de estimação, fiquei a pensar no custo de ter um animal de estimação (eu tenho dois - um cão e um gato), achei que seria interessante fazer o o levantamento dos custos associados a ter um cão, com base na minha experiência. Se puder ajudar uma só pessoa a decidir ter ou não um cão, já valeu a pena ter escrito este post.

This post talks about the costs of owning a dog in Portugal. I wrote it, after reading this article at Mr. Money Moustache.
 
Por isso, quanto custa ter um cão? e de que custos estamos a falar?

Vamos lá aos custos reais, para um cão adulto de tamanho médio 
(valores de referência, para a zona de Lisboa): 

- Alimentação: 200€/ano*
- Veterinário: 50€
- Desparasitação (externa e interna): 80€
 
O que perfaz um total de 330,00€. Como sempre se compra umas gulodices extra, brinquedos novos, produtos de higiene, etc., vamos arredondar para estes custos para 400,00€, o que é uma previsão conservadora.

- Férias: no caso de irem para algum lado, poderão levar o cão convosco, têm alguém de confiança disposto a ficar com ele ou terá de ficar num hotel para cães? 
Neste último  caso, o cão necessita de levar uma vacina específica que deve rondar os 40,00€. Considerando um valor médio de 16€/dia, uma estadia de 3 dias, p.e., ficará em 88€ (o valor da vacina será diluído se no período de vigência da mesma o cão ficar no hotel mais de uma vez), o que fará subir a diária do hotel para praticamente o dobro.

- Fundo de emergência: os cães adoecem e os tratamentos são caros (p.e., o tratamento da  gastroenterite do meu cão ficou-me em 50/60€). Têm a possibilidade de colocar dinheiro de lado para qualquer emergência veterinária e não ficarem aflitos com a despesa inesperada?

Estes custos são monetários, ou seja, saem-nos diretamente da carteira mas também existem custos não monetários, ie, custos que, não podendo ser contabilizados em euros, têm de ser tomados em consideração quando se tem ou se pretende ter um cão.

- Casa: a vossa casa tem espaço para o animal? No caso de arrendarem casa, o senhorio autoriza que o mesmo lá fique? Ou para quem tem casa próprio em prédios de habitação, o condomínio permite a presença de animais? Se não for possível, considerarão mudar de casa?

- Tempo despendido a passear o cão : os cães têm de ser passeados pelo menos duas vezes por dia, por questões de higiene mas também de exercício físico. Considerando 1 hora de passeio por dia, temos o total de 365 horas num ano inteiro. Estão dispostos a despender esse tempo por dia com o vosso cão?
- Disponibilidade horária : têm horários estáveis ou um dia chegam a casa às 17h e no dia seguinte às 20h? Os cães (e as pessoas também, obviamente) beneficiam de horários regulares e rotinas definidas.

- Envolvimento emocional : um cão necessita da atenção e dedicação do dono. Têm essa disponibilidade emocional? Estão dispostos a investir em criar laços com o vosso cão?

Claro que também temos o valor percebido (vantagens) de ter um cão:
- Socialização : para pessoas com competências sociais reduzidas, ter um cão é um excelente mecanismo de socialização, pois naturalmente surgem conversas com outros donos de cães e até pessoas que não os têm mas que metem conversa à conta do animal. Obriga também as pessoas a sair de casa, o que é bom para quem tende a refugiar-se em casa.

- Exercício físico : quando se passeia um cão, não é só o cão que faz exercício, também o dono se exercita.

- Imunidade : o contacto diário com um cão, ajuda-nos a ganhar imunidade contra bactérias e microorganimos.

- Felicidade : ter um cão, num contexto de completa consciência das responsabilidades a ele associadas, faz uma pessoa feliz.

Assim, temos custos reais de 400,00€ por ano vs valor percebido, a que cada um deverá atribuir o valor que considerar adequado e a partir de aí tomar uma decisão informada, considerando não só o seu orçamento mas também o seu estilo de vida.
 

Para o que possa auxiliar, deixo a minha experiência com o meu cão:

- Gasto mais do que o valor acima mencionado (400€), porque acredito que a prevenção sai mais barata que o tratamento, por isso invisto em  ração de qualidade, suplementos alimentares quando necessário, champô de marca, pasta de dentes específica para cães e gatos, etc.
 
*É minha opção comprar uma ração de melhor qualidade, para ajudar a prevenir problemas de saúde no futuro. Prefiro gastar agora e ter a hipótese de poupar no veterinário mais tarde, pois tenho provas de que isto resulta mesmo. Com um pouco de pesquisa, conseguem rações de qualidade superior às do supermercado por pouco mais, não tendo necessariamente de comprar as das marcas mais conhecidas mas cada um fará a sua escolha.
 
- As contas do veterinário fazem-me ranger os dentes mas não temos tido emergências veterinárias nos últimos dois anos, o que equilibrou as contas.

- Eu sou extremamente introvertida e graças ao cão falo agora com imensa gente na rua, pois na cidade onde moro existem imensos cães e há sempre tendência para se falar com perfeitos desconhecidos. Quem me conhece pessoalmente, sabe o quase milagre que isto é...
 
- É tipo caixeiro viajante e vai comigo para (quase) todo o lado -  já andou nos comboios urbanos de Lisboa, viajou de Alfa Pendular, visitou a belíssima cidade do Porto e até à feira da Malveira já foi. Visitas à família no centro do país...já lhe perdi a conta.

- Sim, é chato a pedir atenção, ladra quando cai um parafuso no prédio, detesta o vizinho do lado e estragou imensas coisas quando era cachorro. 
 
- Roeu 3 cintos de segurança para cães, porque não queria ir sozinho no banco de trás.
 
- Não é simpático andar na rua quando faz frio e chove, para ele fazer as necessidades e arejar as ideias.

- Detesta partilhar a atenção e o mimo com o gato cá de casa.
 
 
MAS 
 
Não o trocaria por nada!
 
Há pessoas que consideram que ter um cão é uma prisão mas nunca pensei dessa forma. Quem opta por ter um cão, tem de ter a responsabilidade de se adaptar. Para mim, essa questão nunca se pôs, pois o valor percebido que o cão tem é infinitamente superior a tudo o resto. 
 


Os lords cá de casa
 
Espero que este post ajude alguém e se tiverem qualquer questão, deixem nos comentários, que farei o melhor para ajudar.
 
Até à próxima.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Comentários, críticas e sugestões são sempre bem-vindos!